(+351) 276 41 80 30
geral@misericordiaboticas.pt

Notícias

Comunicado da UMP/CNIS sobre situação dos lares de idosos e de deficientes no contexto da pandemia COVID-19

A UMP e a CNIS tornaram hoje pública a sua preocupação com a grave situação que se vive nos lares de idosos e de deficientes no contexto da pandemia COVID-19. Leia o comunicado na íntegra.

 

A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a União da Misericórdias Portuguesas (UMP) tornam pública a sua preocupação com a grave situação que se vive nos lares de idosos e de deficientes de Portugal no contexto da pandemia COVID-19.

 

O COVID-19 é uma doença aguda, de rápida evolução, alta contagiosidade, e elevada mortalidade na população frágil e idosa. Em outros países europeus assistiu-se a cenários de extrema gravidade nos idosos em lar tendo esta população chegado a representar 30% da mortalidade diária.

Os lares em Portugal são instituições de restrito âmbito social. Apesar das alterações nos últimos anos das necessidades da população residente nos lares, nunca foi permitida pelo Estado a sua requalificação, apesar de todas as diligências das instituições representativas do setor.

Os lares não são, pois, unidades de saúde e não têm como missão nem possuem condições, quer em termos de infraestruturas, quer em termos de recursos técnicos e humanos para darem acompanhamento na situação de doença aguda, não sendo, pois, compreensível nem aceitável que o Estado queira deixar os doentes com COVID-19 nos lares, retirando os utentes que não estão infetados.

Um doente com infecção COVID-19 necessita de cuidados de saúde, com vigilância diária por médicos e enfermeiros. Precisará muito provavelmente de controlo sintomático em fim de vida por doença aguda e rapidamente progressiva. Suporte que os lares não podem dar sem o apoio complementar da saúde.

No caso da infecção COVID-19, acresce o risco de disseminação interna da doença em estruturas que não têm condições físicas (espaços de isolamento), equipamentos de protecção individual (EPI) e profissionais de saúde adequadamente treinados para prevenir o contágio. E, pela enorme concentração de pessoas frágeis, também não faz qualquer sentido comparar os lares às casas das pessoas.

O Governo, através do despacho conjunto, seguido da Orientação da DGS 09-2020, atualizada em 07-04-2020, veio agora claramente impor aos lares a vigilância e tratamento de doentes com infecção COVID-19, sem definir a cobertura necessária de médicos enfermeiros e o fornecimento de EPI. 

A Autoridade de Saúde, que pela orientação referida coordena a actuação em lar com utentes com infecção COVID-19, deverá assegurar antecipadamente o seguimento clínico pelo hospital e pelos ACES e ULS eficaz, com adequada alocação nominal de profissionais e respectivos horários, e o fornecimento de equipamentos de protecção individual.

Infelizmente, porém, temos assistido repetidamente nos últimos dias a situações dramáticas de doentes residentes em lar a quem não são assegurados os cuidados básicos de saúde.

A verdade é que continuamos no terreno a assistir à decisão de manter os doentes COVID-19 dentro da instituição, sem providenciar antecipadamente o mínimo de cobertura referida, com tristes espetáculos de descoordenação.

Os números são claros em mostrar que temos conseguido manter a maioria dos lares livres de COVID e vamos continuar esse esforço. 

Nesse sentido, decidimos constituir um Gabinete Técnico composto por profissionais qualificados para apoio às Misericórdias e que vai ser alargado à CNIS.

Sem prejuízo deste esforço, alastra entre dirigentes e trabalhadores dos lares uma sensação de impotência e abandono por parte do Governo, levando a esta justa manifestação pública de Provedores e dirigentes de IPSS e profissionais.

Preocupam-nos igualmente as famílias, a quem deixamos a nossa solidariedade, pois sofrem com a pandemia, com o afastamento afectivo dos seus idosos e a quem esta situação tem provocado um desnecessário aumento de ansiedade e angústia.

Os lares não abandonam os seus utentes.

Os lares não abandonam as famílias que lhes confiaram os seus entes queridos.

Os profissionais estão a dar provas de enorme competência e espírito de missão, muitos vivendo no local longe das famílias, garantindo segurança aos utentes.

Todos dão o melhor de si no apoio às pessoas frágeis, com profissionalismo, dando-lhes cuidados e suporte.

No entanto, as auxiliares não podem prestar cuidados de saúde em doença aguda. Não é a sua competência nem a sua missão. Não são médicos, nem enfermeiras.

Porque queremos contribuir para manter o País informado de modo transparente, será produzido um reporte bissemanal da situação nos lares. 

A UMP e a CNIS querem garantir os cuidados de saúde aos idosos e deficientes residentes em Lar e, para isso, disponibilizam-se para encetar, aos vários níveis, um diálogo construtivo com as entidades prestadoras de saúde.

A UMP e a CNIS inquietam-se com o silêncio do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSS) sobre a questão central de articulação com o Ministério da Saúde.

Os lares não são equipamentos de saúde, são tutelados pelo MTSS. Aguardamos, pois, uma tomada de posição do MTSS sobre o seu papel neste esforço de coordenação que estamos a propor.

Centro Cultural e Recreativo de Pinho doa EPI à Misericórdia

O Presidente do Centro Cultural e Recreativo de Pinho, Alexandre Santos, entregou esta quarta-feira, dia 7 de abril, diverso Equipamento de Proteção Individual (EPI) para combate ao COVID-19, nomeadamente batas de proteção pessoal, luvas e desinfetante antibacteriano para as mãos.

A Misericórdia agradece e enaltece esta generosa oferta, que ajudará no combate a esta pandemia que nos afeta a todos.

Muito obrigado pelo exemplo e solidariedade!

 

Mais fotos disponíveis na página oficial de Facebook da Misericórdia de Boticas.

PREVENÇÃO COVID – 19

A Misericórdia continua com os trabalhos de desinfeção e higienização dos acessos e espaços comuns.

Esta é uma das várias medidas adicionais, adotadas numa tentativa de combater e minimizar os riscos inerentes à propagação do novo coronavírus.

Para o Provedor da Instituição, Fernando Campos, “neste momento, a prioridade é proteger utentes e colaboradores fazendo todos os esforços para que não haja a transmissão deste vírus.”

 

Entretanto, por favor, FIQUE EM CASA! Proteja-se a si e aos outros!

Utente da ERPI N. Sra. da Livração festeja 100 anos de vida

A ERPI N. Sra. da Livração, viveu em festa o passado dia 21 de março, por ali ter comemorado o seu centenário de nascimento a utente D. Maria Anjos Braga, atualmente a utente mais idosa das várias respostas sociais.

À aniversariante, juntaram-se no refeitório muitos outros utentes, os quais, com a sua presença e carinho, quiseram homenagear quem tão bonita idade acabara de completar.

Como as visitas a utentes estão temporariamente suspensas devido à Covid-19, à festa juntou-se a neta da agora centenária senhora, e funcionária daquela resposta social, que se juntou a outros familiares através de videochamada.

Um convívio cheio de alegria partilhado por todos, que contribuiu para amenizar esta fase menos boa que estamos a viver.

OBRIGADO

Tempos excecionais exigem medidas e pessoas excecionais.
Por isso, agradecemos a todos/as que asseguram cuidados vitais aos que mais precisam e não descuram a sua missão, mesmo em tempos conturbados.

INFORMAÇÃO | CONTACTO POR VIDEOCHAMADA

Familiares de utentes institucionalizados nas várias Respostas Sociais, podem desde amanhã, dia 17 de março, estabelecer o contacto por videochamada através da aplicação WhatsApp.

 

 

 

 

INFORMAÇÃO | MEDIDAS DE CONTENÇÃO À PROPAGAÇÃO DO COVID – 19

Medidas de contenção à propagação do COVID – 19.

AVISO | COVID – 19

As respostas sociais da Creche, Educação Pré-Escolar, Centro de Atividades e Tempos Livres (CATL), estarão encerradas até ao próximo dia 9 de abril, data em que o governo fará uma reavaliação.

 

 

VISITAS TEMPORARIAMENTE SUSPENSAS

 

Cumprindo com rigor as indicações decretadas pela Segurança Social, Ministério da Saúde e da Direção-Geral da Saúde, no âmbito do plano de contenção da infeção pelo vírus COVID-19, a Santa Casa da Misericórdia de Boticas vem, por este meio INFORMAR, que estão temporariamente suspensas as visitas em TODAS as Respostas Sociais da Misericórdia.

Apelamos à compreensão de todos perante esta medida preventiva que visa proteger os nossos utentes, bem como os colaboradores, na sequência da recente evolução da infeção.

Tomada de posse dos elementos do Secretariado Regional da UMP

Decorreu na passada segunda-feira, dia 24 de fevereiro, no Salão Nobre da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços a cerimónia da tomada de posse dos elementos eleitos para o Secretariado Regional do Distrito de Vila Real da União das Misericórdias Portuguesas (UMP).

O Provedor da Misericórdia do Peso da Régua, Manuel Mesquita, preside ao Secretariado Regional, fazendo ainda parte do secretariado o Provedor da Misericórdia de Valpaços, Altamiro Claro e o Provedor da Misericórdia de Montalegre, Fernando Rodrigues.

A solenidade contou com a presença do Provedor Fernando Campos, elemento do Secretariado Nacional da União das Misericórdias Portuguesas.